Quarta-feira, 12 de dezembro de 2018   
 
 
 
 

20 de março de 2015
No mês da água, Mostra exibe filmes sobre o tema

Filmes de diversas épocas e nacionalidades sobre o tema água estão em cartaz durante a 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental. São produções que vão desde 1922, passando pelos anos 1960 e chegam aos nossos dias, em 2014, mostrando que a relação do homem com este recurso natural não é nova no cinema. A programação inclui 11 filmes que abordam o tema.

No sábado, dia 21 de março, será exibido em sessão aberta na Cinemateca Brasileira, a partir das 20h30, o filme “Um Dia, o Nilo”, sobre a construção da represa de Assuan, que mudou o curso do Rio Nilo. O filme do cineasta Youssef Chahine, é uma produção Egito/Rússia de 1968, nunca foi lançado em DVD, não possui cópia digital e a única em película existente fica na Cinemateca Francesa, onde foi restaurado. Chahine (1926 – 2008) é dos maiores cineastas da história do cinema egípcio, e um dos poucos que conseguiu ser premiado nos três maiores festivais de cinema do mundo: Cannes, Berlim e Veneza.

No domingo, 22 de março, dia mundial da água, a 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental exibe, em parceria com a Secretaria do Meio Ambiente de São Paulo, o filme “A Crise Global da Água”. A sessão acontece às 14h15 na Tenda de Filmes do Parque Villa-Lobos.

Produção americana de 2011, o filme apresenta um argumento poderoso do porquê a crise mundial da água será a principal questão que nosso século precisará enfrentar neste século, entrevistando a ativista Erin Brockovich e especialistas no tema. Desde o dia 09/03, quando começou o Circuito Universitário da Mostra, este filme já foi visto e debatido por quase 2 mil estudantes universitários em instituições como Senac-SP, Faculdade Cásper Líbero, Universidade São Judas, USP Leste e FAAP.

Em cartaz até dia 29/09, a 4ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental traz para salas de cinema da cidade de São Paulo vários outros filmes sobre a água, recurso natural cada vez mais em pauta devido ao colapso hídrico enfrentado pelo sudeste brasileiro e outras partes do mundo

Dentre os destaques estão os filmes “Malditas Barragens” (EUA, 2014), “De Sul a Norte” (França, 2014, 109’), “Carioca era um Rio” (Brasil, 2013), H2Omx (México, 2013), “A Lei da Água” (Brasil, 2014), “A Crise Global da Água” (EUA, 2011), “Quem Controla a Água?” (França/Alemanha, 2010) e toda a sessão Panorama Histórico, que traz grandes rios vistos por grandes cineastas.

Serão promovidos dois debates durante a Mostra. O primeiro acontece no dia 21/03, sábado, a partir da exibição do filme “Malditas Barragens”. O filme explora a mudança de atitude dos cidadãos dos EUA: do orgulho de grandes barragens como maravilhas da engenharia à crescente consciência de que o nosso futuro está ligado à vida e à saúde de nossos rios. Com a remoção das barragens, rios voltam à vida, dando a peixes saudáveis o direito de regresso às zonas de desova primordial. Após a exibição do filme (19h no Reserva Cultural – Av. Paulista 900), será promovido um debate sobre matriz energética com a presença de Célio Bermann (Professor Associado no Instituto de Eletrotécnica e Energia da USP) e Ricardo Baitelo (coordenador da campanha de Clima e Energia do Greenpeace Brasil), com a mediação do jornalista Reinaldo Canto. O debate começa às 20h30 no mesmo local.


“Malditas Barragens”

Já no dia 28/03, sábado seguinte, a Mostra Ecofalante promove a Sessão Especial Crise da Água no Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro 1.000) com a exibição de dois filmes sobre o tema na sequência: “A Crise Global da Água” (17h) e “Quem Controla a Água” (19h). O debate acontece no mesmo local, às 20h30, após a exibição do segundo filme, com a presença de Renato A. Tagnin, doutorando em Ciências pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, professor e pesquisador nas áreas de planejamento ambiental, educação ambiental e gestão de recursos hídricos; e Pedro Jacobi, Coordenador do Laboratório de Governança Ambiental da USP (GovAmb USP) e editor da revista?Ambiente e Sociedade.


Cena do filme “A Crise Global da Água”

O filme “Quem Controla a Água” aborda como empresas como Veolia e Suez, do crescente marcado de abastecimento privado de água, estão perdendo terreno na França, sua base. No início de 2010, as duas empresas tiveram que entregar a gestão do abastecimento de água a Paris, o mesmo acontecendo em Rouen. Outras cidades francesas já sinalizaram que vão seguir este mesmo caminho e tomarão o abastecimento de água de volta às mãos públicas. Mas não só na França: na América Latina, EUA, África e Europa, em toda parte surgem movimentos de trazer o fornecimento de água de volta às mãos dos cidadãos.

Outros filmes sobre água integram a programação

Os filmes “Carioca era um Rio”, H2Omx e “A Lei da Água”, integram a Competição Latino Americana. O primeiro é um documentário brasileiro sobre o rio que deu nome aos habitantes da cidade do Rio de Janeiro, mostrando como a principal fonte de abastecimento desta capital por dois séculos se transformou em um grande canal de esgoto submerso que deságua na Baía de Guanabara.

“H2Omx” é um filme mexicano que parte da seguinte premissa: pode uma megacidade mobilizar seus 22 milhões de cidadãos para tornar seu consumo de água sustentável? O filme é um caso de estudo ambiental do Vale do México em sua luta para salvar a si mesmo enquanto sua população cresce.

“A Lei da Água” é um filme brasileiro que esclarece as mudanças promovidas pelo novo Código Florestal e como a ausência de vegetação afeta a produção de água e impacta diretamente o ar, a fertilidade do solo, a produção de alimentos e a vida de cada cidadão.

O Panorama Histórico traz filmes que abordam grandes rios vistos por grandes diretores como Elia Kazan, Glauber Rocha, Ozualdo Candeias, Silvino Santos e Agesilau de Araújo. São cinco filmes:

“A Margem” (Ozualdo Candeias, Brasil, 1967) mostra duas trágicas histórias de amor na favela às margens do Rio Tietê. Os personagens evoluem entre a vida da favela, com seus pequenos golpes pela sobrevivência, e a existência no submundo paulista.

“Amazonas, Amazonas” (Glauber Rocha, Brasil, 1966) traça um painel da situação histórica, econômica, social e humana da Região Amazônica, promovendo um mergulho na paisagem natural e nos sérios problemas decorrentes do subdesenvolvimento.

“No Paiz das Amazonas” (Silvino Santos e Agesilau de Araújo, Brasil, 1922), mostra pescadores de pirarucu e peixe-boi, castanhais, seringueiros, a vida rústica do sertanejo do extremo norte, as riquezas florestais, os rios, as feras fluviais e as aves, o rio Madeira, a Madeira-Mamoré. Na época de seu lançamento, o filme se tornou sucesso no mundo todo por retratar as belezas da região amazônica.

“Rio Violento” (EUA, Elia Kazan, 1960), parte da chegara de um agente do governo americano a uma pequena cidade do sul dos EUA com a missão de promover a remoção de habitantes de uma vasta área que será inundada por conta da construção de uma barragem.


“A Margem”

Completa o Panorama Histórico o filme “Um Dia, o Nilo”, de Youssef Chahine.

Os dias e horários das sessões podem ser conferidos no site da mostra.

(Ecofalante)

Arquivo
12 de setembro de 2018
Faltam apenas alguns dias para o dia Mundial da Limpeza
06 de setembro de 2018
Tecnologia que fortalece a reforma ambiental global
27 de agosto de 2018
Uma viagem para a maior criação da humanidade - a Mancha de Lixo do Pacífico Norte
23 de agosto de 2018
Falta menos de um mês para o Dia Mundial da Limpeza
21 de agosto de 2018
Abraps terá participação destacada na Virada Sustentável 2018
18 de agosto de 2018
Abraps na Virada Sustentável: Prêmio Abraps irá contemplar profissionais que atuam em prol do Desenvolvimento Sustentável
16 de agosto de 2018
Um trote diferente nas unidades da FMU: Limpa Brasil faz ação com calouros da Universidade
30 de junho de 2018
Coordenadora do
Let´s Do It visita o país e apoia ações do Limpa Brasil
28 de junho de 2018
Carta pelo Não Uso Político da Secretaria de Meio Ambiente
18 de junho de 2018
Encontro de Lideranças Femininas destaca Projetos de Empoderamento e Geração de Renda
15 de junho de 2018
Workshop discute os 6 anos do Código Florestal com a imprensa
13 de junho de 2018
Comunidade se mobiliza para ter o Rio Pinheiro vivo e sem lixo
06 de junho de 2018
20º FICA: a perfeita combinação entre arte, cultura e sustentabilidade
05 de junho de 2018
Biocicla na Virada Feminina: Transformação de materiais é oportunidade para o empoderamento das mulheres
28 de maio de 2018
Abraps apresenta sondagem sobre o perfil do profissional de sustentabilidade no Brasil
25 de maio de 2018
Estudantes de Boa Vista participam de ação de limpeza na comunidade com o apoio do Limpa Brasil e da Celpe
16 de maio de 2018
Mulheres em situação de rua recebem atendimento de entidades em SP
10 de maio de 2018
Estudantes de escolas estaduais de Brasília Teimosa promovem mutirão de limpeza na comunidade com o apoio da Celpe
 

2011 ~ 2018 - EcoCanto21
Reinaldo Canto
Todos os direitos reservados - www.ecocanto21.com.br
28 usuários online

Desenvovido por Tecnologia